Gymboree: Já conhecem? Nós, já! [testemunho de mãe]

Junte-se a nossa lista

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

vamos bebé
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Eu conheci o Gymboree numa conferência para Pais e futuros pais, que foi realizada na Culturgest.

Ofereceram-nos um mês gratuito no mesmo evento, mas sinceramente, nem sabia muito bem do que se tratava, apenas que eram atividades lúdicas para crianças (o que confesso que me suscitou bastante curiosidade na altura…).

Esperei que a Madalena fizesse os seus 6 meses e lá fomos nós, utilizar o dito vale.

Tínhamos à nossa frente um espaço amplo, bastante cuidado, adaptado aos diversos estádios do desenvolvimento infantil e com funcionárias bastante simpáticas e disponíveis. Percebia-se que sabiam e que gostavam do que estavam a fazer, e porque o estavam a fazer.

 

Gymboree: Já conhecem? Nós, já! [testemunho de mãe] 1

 

Nem sempre pudemos participar em determinadas aulas por indisponibilidade, mas sempre que o mesmo aconteceu, tentavam arranjar uma forma de podermos estar presentes e usufruir do vale que tínhamos. Como era um vale que tinha também como objetivo dar a conhecer o tipo de atividades que desenvolviam no espaço, pensei que seria provável que nos fizessem alguma “pressão” (mesmo que indireta) para lá continuarmos, mas nunca o sentimos! Muito pelo contrário, deixaram-nos sempre muito à vontade para usufruirmos das atividades, do espaço e para colocarmos todas as dúvidas que poderíamos ter. ADORÁMOS!

A Madalena brincou, rebolou, dançou, “cantou” e acima de tudo aproveitou o que conseguiu, da forma como melhor se sentiu.

Por vezes acompanhava-a eu, outras, o Pai (o bebé tem de estar sempre acompanhado por um adulto de referência) e foi ótimo ter aquele momento especifico de brincadeira com ela, num espaço diferente, totalmente preparado para isso e orientado por quem percebe mais tecnicamente sobre o assunto.

No final da aula, davam-nos uns documentos orientadores com algumas atividades especificas para cada idade (Muito interessante!), sendo que algumas íamos realizando nas aulas.

 

Infelizmente não tirámos muitas fotos pois as aulas tinham outras crianças, e não era permitido [As fotos que aqui estou a colocar são retiradas na internet], mas ficou o que aprendemos e a vontade de lá voltar!

 

Agora que tenho menos tempo será mais complicado ir, mas assim que for possível não deixarei de lá voltar, pois sem dúvida que este será sempre um espaço de referência, neste âmbito, para nós!

 

Gymboree: Já conhecem? Nós, já! [testemunho de mãe] 2

 

Hoje em dia, com os trabalhos que temos e com todos os afazeres e responsabilidades à parte dos mesmos, torna-se complicado ter tempo de qualidade para brincarmos e simplesmente estarmos com os nossos filhos.

Uma das coisas que senti no Gymboree, é que aquele tempo, sem telemóvel, sem televisão, sem trabalho, sem o resto do mundo, era só meu e dela, mesmo com as outras crianças e com as outras mães que o frequentavam também. Aquele momento de brincadeiras, sorrisos, novas descobertas e interação, era nosso e sem dúvida, que nos aproximava ainda mais!

Para além disso permitiu-nos conhecer outras Mães e Pais com bebés da mesma idade da Madalena, o que nos permitia ir trocando algumas ideias e experiências.

Como gostámos tanto, sem dúvida que tinha de haver aqui um texto sobre esta nossa experiência, e para o complementar, achei boa ideia pedir a uma das técnicas do Gymboree que escrevesse um texto sobre os benefícios do brincar quer para o bebé, quer para os Pais e o Bebé.

A Psicóloga e Professora no Gymboree, Carolina Canto, demonstrou-se bastante disponível para colaborar comigo nesta exposição e brevemente o seu texto será colocado no blog.

[testemunho de Ana Vale. Enfermeira. Mestre e Especialista em Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiatria; Pós-graduada em Reabilitação Psicossocial em Saúde Mental; Pós-Graduada em Enfermagem Geriátrica e Gerontológica; Apaixonada pela área de saúde mental que tanta importância tem, desde o inicio até ao fim da vida, e onde ainda existe tanto, mas tanto, trabalho a fazer). Autora do blogue “Mulher, Filha e Mãe” e do blogue “a Enfermeira vai a casa”. 

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Artigos Relacionados

guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Subscreva para receber as dicas do Gymbo!

Mantenha-se atualizado com nossas Dicas para o Desenvolvimento do seu Filho, Eventos Especiais e Descontos Exclusivos para Assinantes.

Scroll to Top