«Estou sem paciência para os miúdos!». Inspire, expire… e leia as nossas dicas

Ser pai não é ser de ferro. Por mais que ame os seus filhos, há por certo dias em que pura e simplesmente não os consegue aturar. Ou porque o trabalho está a chegar a níveis inimagináveis de stress, ou porque passou duas horas parado no trânsito ou apenas porque está a ter um dia mau. Leia também: «Hoje é dia de festa! Deixamos os miúdos acordados até mais tarde?» Antes de sermos pais somos humanos. Temos os nossos

Maturidade: «Preciso de ti para ser crescido!»

À medida que as crianças alcançam a maturidade – física, cognitiva e emocional – procuram libertar-se da dependência funcional em relação aos adultos cuidadores. Leia também: «Estou sem paciência para os miúdos!» A criança toma consciência da sua individualidade, do controlo que tem sobre o mundo e das novas e espectaculares capacidades que possui. As crianças procuram experimentar as suas próprias ideias, executar as suas preferências e tomar decisões.   Os pais e agentes educativos que vêem estas (novas) tentativas como

terapia fala linguagem

A terapeuta da fala explica: «a linguagem desenvolve-se na barriga da mãe»

O ser humano tem a capacidade inata para desenvolver linguagem, comunicando através de um sistema linguístico verbal e/ou não-verbal. Veja também: o foco e a concentração na infância Pelo seu cariz inato e aparentemente simples, temos tendência a não observar a fala com a devida atenção nas nossas crianças. No entanto, esta competência tem tanto de fascinante como de complexo, devendo por isso ser valorizada logo desde as etapas mais precoces. A fala nasce na barriga da mãe O desenvolvimento da

bebé mãe mitos pediatria

25 mitos da pediatria… Desmistificados por especialistas!

As orientações da pediatria moderna são conhecidas em Portugal e estão adoptadas por muitos especialistas. Este artigo é baseado numa partilha de informação do Expresso, que ouviu alguns pediatras com trabalhos publicados nesta área e com funções em hospitais públicos de referência. Música na gravidez Não é preciso nascer para ouvir. Hoje admite-se que o feto tem capacidades auditivas a partir das 12 semanas e guarda memória dos sons após o nascimento. Recomenda-se a audição de sons graves porque têm um efeito

Brincadeiras para o fim-de-semana!

Aqui estão algumas sugestões de brincadeiras para todas as idades! 0-1 ANO: Crie uma sinfonia! Reúna um conjunto de objectos sonoros/barulhentos – tampas de frascos, rocas/guizos, colheres de pau ou de plástico – e una-os com uma fita. Agite o instrumento em frente ao seu bebé. Como é que ele reage? Mexe-se e tenta pegar no instrumento ou procura afastá-lo? Parece receoso ou chora? Compreender o modo como a criança lida com a informação sensorial e detectar qual a amplitude de som que

O seu filho compreende o mundo

 Os Primeiros passos… Durante os 6 meses depois do seu filho fazer o primeiro aniversário, este vai ficar muito mais crescido e aprender a andar. Nesta fase, as crianças já começam a mostrar o que querem ou não fazer. É importante seguir sempre o interesse da criança e não a forçar a fazer actividades que não tem vontade! Incentive-a a explorar o mundo, mostre que a compreende, pois, apesar de ainda não falar, através dos risos (ou choros), de indicar com

Como te sentes meu pequenino?

Exprimir e Sentir Quando se é pequenino, a forma de se exprimir e mostrar o que sente vai para além das palavras! Faça uns cartões com imagens felizes, tristes, zangados e dê ao seu filho lápis, marcadores ou tintas. Peça-lhe para desenhar uma imagem feliz, não necessita de nada em particular, apenas uma que signifique felicidade para ele. De seguida, peça-lhe para desenhar uma imagem triste e zangada. Enquanto ele desenha, conversem sobre o que aconteceu e o que ele sentiu naquela

Pés Pequenos

Pegadas Próprias Desde o nascimento, os bebés são fascinados pelos seus próprios pés, quer seja pelo que sentem com eles, ou pelo aspecto dos seus primeiros sapatos! Seguir um caminho de qualquer espécie requer equilíbrio e coordenação. Esta semana ofereçam uma nova perspectiva dos pés aos vossos filhos, assim eles têm um grande desafio para as suas competências motoras, aprendendo a seguir as suas próprias pegadas. Desenhem o contorno das solas dos sapatos dos seus filhos, em varias folhas de papel e usando

Não seja um pai distraído

Nas palavras de Orlando… “O desenvolvimento do seu filho depende muito de si, pai ou mãe. Por muitas razões: em 1º lugar, porque o desenvolvimento da criança exige amor; em 2º, porque tal desenvolvimento exige contextos estimulantes e em 3º, porque esse desenvolvimento exige actividade da própria criança (actividade motora e mental). Ou seja, têm uma influência sobre a educação e o desenvolvimento dos filhos que é única e insubstituível. Objectar-me-á, com razão, que teria de ter mais tempo e dinheiro para

Antes Elogiar que reprimir

Sabia que… É obrigação de toda a comunidade e, muito em especial, de professores (professores Gymboree também), educadores, psicólogos e pediatras, ajudar os pais naquilo que eles mais anseiam: promover nos seus filhos o máximo desenvolvimento psicológico. Seria bom que pensassemos na educação e o desenvolvimento dos filhos em termos de sucesso individual, mas também em termos sociais. Para termos sucesso nestas duas valências, devemos evitar o erro educacinal fundamental: os pais, muitas vezes, estão interessados em estimular comportamentos positivos e desejáveis