Escrever uma carta ao Pai Natal, sim ou não?

Devemos ou não incentivar os nossos filhos a acreditar no Pai Natal? As opiniões dividem-se. De onde veio o Pai Natal afinal? Por que razão incluí-lo nas nossas vidas? Nada mais, nada menos do que história, imaginação, sonhos… E por que não?Que tal uma história?Antes de escrever ao Pai Natal vamos tentar conhecer a sua origem um pouco melhor.Oriundo de Myra, na península da Anatolia (hoje conhecida como Turquia) St. Nicholas foi um bispo que, segundo reza a lenda, era

irmao

«Vais ter um mano!»: Saiba como preparar as crianças para a chegada de um IRMÃO

Durante este tempo, o seu filho foi o centro das atenções dos pais e, provavelmente, de avós, tios e amigos. Agora, a chegada de um bebé à família vai mudar tudo: rotinas, o espaço, os comportamentos e, claro, a vida da criança.Porque deixar de ser o centro do universo pode ser traumático, eis algumas dicas úteis para saber como apresentar esta maravilhosa nova etapa sem deixar marcas na criança que, agora, vai ganhar o título de irmão

“Da conjugalidade à parentalidade…” por Mª Teresa Ribeiro

Quando uma mulher e um homem se amam, desejar um(a) filho(a) é o que há de mais natural.‘ Ser mãe ’ e ‘ser pai’ é, para muitos, a experiência existencial mais profunda da sua vida, assinalando no processo evolutivo familiar uma mudança normativa: a transição da conjugalidade para a parentalidade.Maternidade e Paternidade como um encontro – um encontro especial, com contornos únicos, cada um aprendendo o que é “ ser mãe ”, “ser pai” e “ser filho”.Maternidade

Transforme o Negativo no Positivo (2 aos 3 anos)

Provavelmente a palavra preferida do seu pequenote nesta fase é o “Não”. Talvez por ainda não conseguir associar a palavra à sua causa. Trata-se de um sinal da crescente consciência da sua criança e do desejo de causar impacto no mundo. Permita que a criança sinta o poder do “Não” fazendo-lhe questões absurdas, tais como “Estamos sentados no meio do oceano?”.Desta forma a criança aprenderá outras aplicações e sonoridades da palavra “Não”.

Sensibilidade a mais?

Com o Fim da gravidez ficamos atentas e sensiveis às mais pequenas coisas, principalmente quando lidamos com crianças diariamente… Podem dizer que são as hormonas da gravidez, mas é uma alegria tão grande quando olhamos para elas e vemos um mundo cheio de maravilhas… Todos os dias um sorriso, uma nova descoberta, a felicidade de um “Mãe, consegui!”… Vêm-me as lágrimas aos olhos e penso que todas as crianças nos ensinam alguma coisa especial: o que gostam, com um sorriso,