O bebé entre os 6 e os 10 meses

Junte-se a nossa lista

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

O seu bebé está a chegar aos 6 meses?

Prepare-se para 4 meses muito intensos! O rápido desenvolvimento motor, cognitivo e social e as possíveis regressões no sono e na alimentação, tornam este período um autêntico ponto de referência.

O bebé está mais atento, ativo e curioso

O seu pequenino procura perceber como é que o mundo funciona e adquirir competências que lhe permitam ter impacto no meio à sua volta. Ainda assim, é igualmente um período de muito foco e observação dos outros e do ambiente que o envolve.

Pernas a mexer

Esta é uma fase de grande atividade social:

  • o bebé vocaliza;
  • palra continuamente para chamar a atenção;
  • ri espontaneamente (e não apenas por imitação) e…
  • grita muito durante as brincadeiras;
  • O bebé começa a distinguir o estranho do ordinário;
  • orienta-se para a voz da mãe e vira a cabeça para o som;
  • está atento a sons habituais (sejam produzidos perto ou longe) e…
  • reage a pessoas estranhas.

O corpo do bebé fica mais forte

Durante esta etapa, conseguir ficar sentado sem ajuda representa um marco muito importante. Inicialmente o bebé fica sentado inclinado para a frente, apoiado em ambos os braços e completamente imóvel. Com o tempo, será capaz de endireitar as costas e pouco a pouco liberta-se do apoio lateral conferido pelos braços, mantendo-se sentado por períodos prolongados. Só mais perto dos 8 meses é que o bebé se sente completamente à-vontade na posição de sentado, o que permitirá a exploração dos objetos com as duas mãos.

O bebé entre os 6 e os 10 meses 1

O fascínio pelas mãos

À medida que uma criança adquire um maior domínio do corpo, as suas mãos tornam-se cada vez mais excitantes para ela.

  • Por volta dos 6 meses consegue agarrar num objeto com uma mão e transferir para a outra;
  • Mais tarde é capaz de segurar em dois objetos (um em cada mão) e juntá-los;
  • Pouco a pouco deixará de usar somente a palma da mão para explorar o objeto com os seus dedinhos;
  • Separa gradualmente o indicador do polegar;
  • A destreza na pega em pinça é uma aquisição muito complexa, por isso, não admira que o bebé fique tão entusiasmado com esta nova habilidade e a pratique durante todo o dia.

Este interesse crescente pelas mãos contrasta com o desinteresse cada vez mais notório pelos pés, uma vez que o bebé passa menos tempo deitado de barriga para cima a observá-los.

O bebé começa (ou não) a gatinhar

Entre os 6 e os 10 meses, os bebés aprendem geralmente a gatinhar ou a deslocar-se de outra forma. Será importante aqui salientar que o gatinhar não é um marco necessário ao desenvolvimento da criança. Contudo, esta aprendizagem dá um enorme impulso à sua independência pelo que o bebé começará por arrastar-se de barriga para baixo e lentamente tentará erguer-se apoiado nos cotovelos e joelhos.

Quando o bebé começa a tentar coordenar as pernas e os braços, inicia o movimento para trás. Isto é frustrante para o bebé que se vê a afastar-se do objeto que tanto quer; aqui os pais poderão ajudar, dando um apoio firme (sem empurrar) com as suas mãos contra os pés do bebé, permitindo que se mova para a frente. Assim o bebé vai ficando apto a repetir o movimento para a frente sozinho.

barriga para baixo

Cuidados a ter

Nesta fase os pais precisam de proteger o filho da sua própria curiosidade. Recomendamos, por isso, que os pais se baixem, gatinhem pela casa e inspecionem todas as divisões, identificando e procurando soluções para potenciais perigos que o bebé possa querer explorar. Falamos por exemplo de tomadas que estão à vista, escadas que precisem de vedações, banheiras e/ou piscinas de fácil acesso, medicamentos ou substâncias perigosas que estejam ao nível do bebé dentro ou fora dos armários.

Ainda dentro deste assunto, será importante reforçar a questão da limpeza dos espaços, em particular do chão, porque para o bebé tudo se torna excitante, pegando e levando à boca tudo o que encontrar.

Ficar de pé – uma nova dimensão

Mais perto dos 9 meses, o bebé começa a pôr-se de pé, agarrando-se a qualquer coisa (uma mesa, uma cadeira). Quando está de pé agarrado, fica muito quieto; mas ele não quer ficar por aqui: o movimento é o seu objetivo final. O desejo de se pôr de pé e andar é inato!

Agora de pé, vê o mundo de uma forma diferente; o mundo já não é plano, o bebé acrescentou-lhe uma terceira dimensão. Isto estimula-o a esforçar-se permanentemente.

O bebé entre os 6 e os 10 meses 2

As conquistas motoras e a alimentação

As capacidades motoras recentemente adquiridas (o sentar, o pôr-se de pé, o agarrar em pinça) são importantes pontos de referência para o desenvolvimento que afetam todos os aspetos da vida de uma criança. Em particular, a alimentação e o sono; dois campos em que os objetivos dos pais e os do bebé podem entrar em desacordo.

Na alimentação, o mais pequeno quer divertir-se a agarrar os alimentos com os seus próprios dedinhos e poderá dificultar ou mesmo rejeitar que lhe deem a comida à boca; já os pais, querem que o seu filho se alimente de forma adequada e equilibrada.

  • O importante é valorizar esta nova aventura do bebé;
  • Dê ao bebé alguns pedacinhos de comida para que ele os explore, enquanto lhe dá o comer à boca;
  • Poderá também dar-lhe uma colher para ele explorar e brincar enquanto utiliza a sua para alimentá-lo.

O impacto no sono

Toda esta excitação e frustração provocadas pela aquisição de novas capacidades também se refletem no sono. É possível que o seu bebé passe a ter noites menos calmas; este é um retrocesso que precede um grande passo em frente.

Será importante nesta fase reforçar o ritual de ir para a cama, para que o bebé saiba que é mesmo hora de se ir deitar.

  • Manter sempre o mesmo horário de deitar;
  • Se necessário antecipar as rotinas de fim de dia para fazer tudo com mais calma e assegurar maior tranquilidade para o bebé;

gymboree montar um quarto bebé

Para além da sequência dos atos que o bebé aprende a reconhecer (por exemplo: banho, vestir pijama, comer, lavar dentes/gengivas, dormir) e lhe transmitem segurança e serenidade pode também acrescentar outros elementos securizantes:

  • uma música de embalar que habitualmente canta para o bebé;
  • o seu boneco preferido ou um pano para se aconchegar;
  • falar baixinho para o bebé com frases meigas como “faz ó-ó bebé, a mamã/papá está aqui”, que vai repetindo e vão embalando o bebé.

As brincadeiras

Estes surtos de desenvolvimento tornam as brincadeiras e jogos mais divertidos também para os pais. Assim, será uma fase providencial para que brinquem juntos, de acordo com as preferências de ambos.

  • Poderá observar como o seu bebé já tapa e destapa um brinquedo com um lençol;
  • Faz sons quando o objeto reaparece ou procura um objeto que caiu; o que demonstra que está a adquirir a noção de permanência do objeto.
  • Brincadeiras e outros jogos repetitivos são também um modo de o bebé começar a testar e a desenvolver expetativas.
  • A noção causa-efeito é também um novo conceito que começa a surgir: o bebé aprende como o mundo funciona.
  • Fascina-se com simples mecanismos abrir e fechar algo, atirar ao chão e a mãe apanha, empurrar o carrinho e ele move-se.

Para saber mais sobre como brincar com o seu filho entre os 6 e os 10 meses, recomendamos o nosso Top 10 Brincadeiras e Estímulos com sugestões específicas para esta fase.

O bebé entre os 6 e os 10 meses 3

Já viu as nossas sugestões para os bebés até aos 6 meses?

Boas Brincadeiras! E conte-nos sobre as vossas aventuras nesta idade.

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Artigos Relacionados

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Subscreva para receber as dicas do Gymbo!

Mantenha-se atualizado com nossas Dicas para o Desenvolvimento do seu Filho, Eventos Especiais e Descontos Exclusivos para Assinantes.

Aula Grátis - Gymboree Portugal
Scroll to Top