Educar para a Paz [as competências e as brincadeiras]

Junte-se a nossa lista

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Educar para a Paz

Na Declaração do Direito à Paz aprovada em 2016 pela Assembleia Geral das Nações Unidas, pela primeira vez, se estabelece que todos os seres humanos têm direito a usufruir da paz. Também se reconhece que a paz não é apenas a ausência de guerra, mas um direito humano fundamental que requer “um processo participativo positivo e dinâmico, em que o diálogo é encorajado e os conflitos são resolvidos num espírito de compreensão recíproca e de cooperação”. O 4º artigo da Declaração é dedicado à educação para a paz, a fim de “reforçar entre todos os seres humanos o espírito de tolerância, de diálogo, de cooperação e solidariedade”.

Podemos semear a Paz e ensinar as nossas crianças a ser construtores da paz?

Podemos e devemos!

O que podemos fazer para educar as crianças para a Paz?

Os pais, professores e educadores como agentes educativos e modelos de comportamento para as crianças, têm um papel muito relevante no que diz respeito à transmissão de valores como o respeito pela liberdade de cada um, a tolerância e a abertura ao diálogo para a resolução de conflitos, assim como a consciência de que somos seres sociais e relacionais, cada um com as suas características únicas e que cada um pode dar o seu contributo para um bem comum. Cada um pode fazer a sua parte, por mais pequena que seja, para tornar o mundo um pouco melhor, começando pela relação com os seus amigos, com a sua família, com os seus professores…

Educar para a Paz [as competências e as brincadeiras] 1

                                                                                                                                                    

A Paz brotará de pequenas sementes de respeito pelo próximo, regadas com muito diálogo e adubadas com os laços da cooperação.

A Ordem dos Psicólogos Portugueses publicou recentemente vários documentos sobre a temática da Paz, e em concreto, tem este guia muito completo destinado às crianças/jovens e pais/educadores sobre a construção da Paz.

Ser construtor da Paz é:

– Ser compreensivo e empático, capaz de se colocar no lugar do outro;

– Mostrar-se disponível para cooperar e procurar soluções conjuntas;

– Saber respeitar a liberdade de cada um;

– Reconhecer que somos todos diferentes e todos iguais;

– Saber dialogar através de uma escuta ativa, atenta e de uma comunicação assertiva (aprender a dizer exatamente aquilo que se quer, com calma e clareza no discurso, e no tom certo. Com expressão facial e corporal condizentes com o discurso);

– Ser-se criativo na resolução de conflitos, sem recurso à violência;

– Conhecer-se a si próprio. Saber identificar as suas emoções e saber geri-las e regulá-las;

– Reconhecer o erro (e aceitar pedidos de desculpas). É importante que possamos reconhecer essas situações, aceitar que são naturais e conversar sobre elas para “fazer as pazes” e, a partir desse momento, “enterrar o assunto”, sem ressentimentos.

– Expressar gratidão. A expressão de gratidão está na base do respeito mútuo, da compaixão, da cooperação e entreajuda, da confiança e valorização do outro – contribuindo de forma determinante para a construção da Paz.

Há competências que podemos fomentar na infância que são sementes para a Paz?

Sim, há algumas competências em desenvolvimento nas crianças a partir dos 3 anos que podemos destacar e que estão intimamente relacionadas com a educação para a paz.

Educar para a Paz [as competências e as brincadeiras] 2

Uma delas é o Auto-controlo, ou seja, a capacidade para adaptar e controlar as próprias ações.

É a noção de controlo interno. O auto-controlo é essencial para o crescimento harmonioso da criança, uma vez que ajuda a criança a lidar com a frustração e desapontamento, a cumprir as regras seja em casa ou na escola, a resolver conflitos com os pares, a partilhar e a aguardar pela sua vez.

Outra é a capacidade para se relacionar com os outros. Esta capacidade de interação descreve as ligações emocionais que as crianças desenvolvem com os seus pares e que é baseada na confiança. Através do estabelecimento de relações, as crianças começam a conhecer-se a si próprias e também aos outros. O estabelecimento de uma relação saudável e satisfatória com outras pessoas (crianças e adultos) é essencial para o sucesso e bem-estar na escola e ao longo da vida.

Educar para a Paz [as competências e as brincadeiras] 3

A cooperação é outra competência muito valiosa na educação para a paz.

É necessária para equilibrar as necessidades e vontades próprias com as dos outros numa atividade de grupo. A cooperação significa um esforço conjunto, implica uma dinâmica de dar e receber que é satisfatória para ambas as partes, ou seja, implica negociação com vista a um objetivo comum.

A cooperação é uma ferramenta essencial para a escola também, à medida que vão sendo capazes de trabalhar em grupos, aprendendo a conjugar diferentes necessidades e interesses e construir relações com os professores e com os amigos.

Educar para a Paz [as competências e as brincadeiras] 4

E por fim, mas não menos importante, destacamos a capacidade para comunicar. Entende-se que esta é a uma capacidade para trocar ideias, sentimentos e conceitos, com os outros, de forma verbal e não verbal. A comunicação é essencial para a construção de bases sólidas em relações saudáveis. A capacidade de comunicar assume um papel importante no contexto escolar, à medida que a criança cresce, pois está implicada na partilha de ideias, exposição de trabalhos e discussão de ideias em grupo. É importante que a criança cresça sabendo que pode partilhar as suas ideias e sentimentos com os adultos e com as outras crianças, e que aprenda a usar as suas habilidades comunicativas para resolver conflitos, encontrar soluções para problemas, construir novas amizades, processar nova informação e para responder e colocar questões. Portanto, a capacidade para comunicar será determinante também na construção da auto-confiança e na habilidade da criança para se relacionar com os outros.

Gostava de brincar e ajudar a semear a Paz?

Aqui encontra algumas das sugestões de brincadeiras para crianças a partir dos 3 anos que são estímulo para as competências descritas acima.

Pode ficar a saber mais sobre outras competências-chave essenciais para a entrada na escola, neste artigo:

7 competências-chave para a entrada na escola [Programa Gymboree School Skills]

5 Dicas para educar crianças bondosas

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Artigos Relacionados

guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Subscreva para receber as dicas do Gymbo!

Mantenha-se atualizado com nossas Dicas para o Desenvolvimento do seu Filho, Eventos Especiais e Descontos Exclusivos para Assinantes.

Scroll to Top