Bebé Voador

Junte-se a nossa lista

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

bebé voador
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Bebé voador (0-6 meses)

Segure o bebé com a barriga para baixo, apoiado nos seus antebraços, e balance-o suavemente de um lado para o outro.  Hoje vamos ter um bebé voador!

Para tornar a actividade ainda mais divertida, pode cantar uma música infantil, balançando o seu pequeno bebé voador ao ritmo da música – sempre com movimentos suaves e sempre com atenção aos sinais que o seu bebé lhe vai dando sobre o seu interesse pela actividade.

Para além de divertido, é um óptimo exercício para estimular a sustentação da cabeça e o sistema vestibular – sistema muito importante para o desenvolvimento do equilíbrio.

 

 

 

Escutar com atenção! (6-10 meses)

Experimente uma versão auditiva dos tradicionais jogos de escondidas: coloque-se atrás do bebé, quando ele estiver a brincar no chão, e pergunte: “Onde está a mamã/papá?”. 

Em vez de perguntar pela mamã/papá pode também chamar o bebé pelo seu nome ou utilizar um brinquedo barulhento (como um guizo). O objectivo é que o bebé se vire de forma a tentar localizar o som.

Caso utilize um guizo ou outro objecto sonoro, pode realizar uma variante do jogo: faça barulho de forma a captar a atenção do bebé e de seguida esconda o objecto num local acessível. Ajude o bebé a procurar o “barulho”!

Este tipo de actividades ajudam a estimular a percepção auditiva e a atenção do seu bebé.

 

 

 

Bebé arrastado! (10-16 meses)

Sente ou deite o seu bebé em cima de um cobertor e puxe-o lentamente em diferentes direcções. 

Poderá colocar o bebé encaixado na almofada de amamentação de forma a que fique mais amparado na “viagem”. No entanto, se o seu bebé já tiver um bom domínio sobre a posição de sentado, a viagem poderá ser feita sem almofada. 

Desta forma, para além de darmos um bom estímulo ao sistema vestibular, trabalhamos ainda o equilíbrio e a postura!

 

 

Chapéus na cabeça (16 aos 22 meses)

Com um conjunto de chapéus diferentes, surpreenda a sua criança colocando um chapéu grande na sua cabeça. Agora faça-a experimentar, colocando um chapéu na dela. Divirtam-se e experimentem ver-se ao espelho. Ajude-a a expandir o vocabulário descrevendo: “Este chapéu é verde”, “As penas são suaves”.

Com esta atividade conseguimos desenvolver a linguagem, o pensamento simbólico e a socialização.

 

 

O STOP das partes do corpo (22-28 meses)

Dê um lenço colorido ou um cachecol à sua criança e coloque uma música animada. Devem dançar, em conjunto, de acordo com o ritmo da música. De seguida, pare a música e diga o nome de uma parte do corpo, por exemplo, “Joelho!”. O seu pequenote deve tocar com o lenço nessa parte do corpo e continuar a dançar, sem retirar o lenço desse local, repetindo-se o procedimento.

 A cada paragem da música, nomeie uma parte do corpo diferente. 

Este tipo de brincadeiras são óptimas formas de estimular a noção corporal, a atenção e a consciência rítmica.

 

 

Sacos barulhentos (28-36 meses)

Encha 5 sacos de papel (ou 5 garrafas de plástico) com diferentes conteúdos de modo a que produzam sons diferentes quando abanados. Pode utilizar pequenos sinos, feijões, massa, arroz, moedas, colheres, etc. 

Antes de colocar os materiais dentro dos sacos, mostre-os à sua criança. De seguida, deixe que a criança abane cada um dos sacos e tente adivinhar o que está lá dentro. 

Este é um óptimo exercício para estimular a percepção auditiva, a atenção e a memória, ao mesmo tempo que trabalha a consciência rítmica. 

 

 

 

“Construir um calendário” (3-5 anos)

Muitos especialistas têm alertado para a importância de manter rotinas no dia-a-dia das crianças, mesmo durante períodos menos estruturados, em que passem muito tempo em casa.

Hoje propomos que acrescentem um calendário na vossa rotina diária – não um calendário qualquer, mas um calendário construído, em conjunto, por toda a família!

Divida uma grande folha de papel, cartão ou cartolina nos 7 dias da semana, escrevendo no topo de cada espaço o nome de cada dia. A decoração do calendário fica a cargo do seu pequeno artista. Aproveite para falar acerca dos diferentes dias da semana (ex: “Sabes que dia é hoje?”). Todos os dias, ao acordar, assinalem o dia em que estão – e aqui, a criança pode escolher de que forma quer assinalar o começo de um novo dia – fazendo um desenho, colando um autocolante, usando carimbos…

Para além de ser uma óptima forma de iniciar o dia com uma rotina diferente do habitual, o calendário é uma óptima ferramenta para ajudar os pequenotes a entenderem melhor um conceito tão abstracto quanto a passagem do tempo.

 

25 mitos da Pediatria na vos dos especialistas

Um pouco de ciência: Fase rudimentar do desenvolvimento

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Artigos Relacionados

guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Subscreva para receber as dicas do Gymbo!

Mantenha-se atualizado com nossas Dicas para o Desenvolvimento do seu Filho, Eventos Especiais e Descontos Exclusivos para Assinantes.

Aula Grátis - Gymboree Portugal
Scroll to Top